Visualizar:

▼ Postagens (73)
  • Qual é a origem do dízimo?

    27

    Nov
    27/11/2012 às 13h19

    10 %

    O dízimo existe há muito mais tempo que o cristianismo. Templos no antigo Egito, Grécia e Roma, por exemplo, cobravam tributos desde 1500 a.C. Eram doações de qualquer coisa que pudesse ser usada como dinheiro na Antiguidade, como animais, armas, frutas e água. A Igreja Católica institucionalizou acobrança no Concílio de Macon, em 585, estabelecendo a quantia de 10% das posses dos fiéis. Mas foi Carlos Magno, rei dos francos, que expandiu a prática: conforme alargava seu império no século 9, difundia a cobrança nas regiões conquistadas. Com o tempo, os governos entraram na jogada. "A Igreja permitiu reis a cobrarem o dízimo, mediante o compromisso de expandir a fé cristã", diz Diego Omar Silveira, historiador da UFMG. Com a separação entre Igreja e Estado, a partir do século 18, o dízimovoltou a ser um tributo exclusivamente religioso.

    Roleta romana
    O verbo dizimar, que hoje é sinônimo de exterminar, surgiu como uma punição do exército romano em caso de insurreição das tropas. O castigo era sanguinário. E estatístico. Ele consistia em matar um em cada dez soldados, aleatoriamente.

    Por que 10%?
    Além da mística envolvendo o número, usamos o sistema decimal, então é mais fácil dividir algo por dez do que por sete, por exemplo. Países islâmicos, que também usam o sistema, têm alguns ramos em que o dízimo é de 20%.

    Caso de Morte
    Na Igreja primitiva, o casal Ananias e Safira foi morto por esconder lucros que deveriam ser doados à comunidade. Não há casos assim só na Bíblia. Em 2010, no Maranhão, uma mulher matou os pais por eles não pagarem o dízimo.

    Fonte:http://super.abril.com.br/religiao/qual-e-origem-do-dizimo-721026.shtml

     

     


  • Djs Fake.

    13

    Ago
    13/08/2012 às 11h51
    <p class="western">
    fcx

    <p class="western">RIO - Sinal de alerta nas pistas. DJs que tocam sets pré-mixados e os “DJs-celebridades” — famosos que “atacam de DJ” — estão tirando o sono, a moral e (sobretudo) os cachês dos DJs profissionais. A grita já toma conta de vários perfis no Facebook e adquire ares de manifesto em defesa da arte do DJ, que, segundo alguns, já está em risco.
    Leia mais sobre esse assunto em 1996 - 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

    <p class="western">Internacionalmente, os questionamentos sobre as habilidades de um “disc-jockey” esquentaram após as declarações do DJ superstar canadense Deadmou5, que há um mês publicou em seu blog um post com o título “Todos nós apertamos o play”. No texto, depois de afirmar ter consciência de que seria odiado pela classe ao “revelar um segredo”, solta a bomba: “Todos tocamos sets com trechos pré-mixados.” Logo, as declarações repercutiram em blogs, sites e revistas especializadas, em proporções planetárias, dirigindo palavras pouco amigáveis ao “rato”.

    <p class="western">Pois aqui as coisas também não estão calmas. Causam desconforto aos profissionais os DJs iniciantes que, considerados “celebridades”, cobram cachês de astros. Em julho, por exemplo, o DJ Olin Batista, filho do milionário Eike Batista, com menos de um ano de carreira, levou R$ 12 mil (valor de top) para tocar na boate Tamboatá, em Itaipava, como noticiado na coluna Gente Boa.

    <p class="western">

    <p class="western">— Levamos quase 20 anos construindo uma cena eletrônica. Suamos para conseguir músicas, equipamentos certos, treinamento e até para criar ídolos genuinamente brasileiros — diz o DJ Memê, um dos mais bem-sucedidos do país e também um dos principais críticos da invasão dos “DJs de ocasião”. Ou, como apelidados nas redes sociais, os “DJs-fake”.

    <p class="western">O fenômeno parece mais frequente no interior do país, em que a simples menção de um nome famoso atrai público. Mas, mesmo em pistas em que a cultura club é exercida como antigamente, as tais celebridades já dão as caras. É o caso da apresentadora de TV Pietra Príncipe, convidada para tocar no Fosfobox, ontem.

    <p class="western">— Não acho que DJs-celebridades tomem lugar de profissionais — argumenta Cabbet Araujo, sócio do Fosfobox. — O que existe é uma nova geração que não está muito interessada no conceito musical de um ou outro DJ. Os tempos mudaram.

    <p class="western">Um dos primeiros sintomas da mudança foi há quatro anos, quando nasceu a noite I Love Pop, chefiada pelo stylist (e DJ) José Camarano e pela produtora (e DJ) Suzana Trajano. Só de ouvir a expressão “DJ-fake”, Camarano, um inconteste frequentador das melhores pistas do país, reage:

    <p class="western">— Ouço essa reclamação desde os tempos do iPod no Dama de Ferro, em 2006. Achei que o assunto estivesse resolvido, porque no Rio há lugares como a Comuna, onde só tocam DJs profissionais, além de noites novas, como a D-Date, no 00. Há espaço para todos.

    <p class="western">Para o DJ e produtor Leo Janeiro, do trio Ask2Quit, fakes só têm espaço nas pistas de som mais comercial.

    <p class="western">— O problema é que convidar famosos deixou de ser uma brincadeira, e eles começaram a se vender como profissionais — diz. Ficou fácil juntar “DJ” ao nome e ganhar com isso.

    <p class="western">A facilidade das novas tecnologias também é apontada como predadora. Hoje descrito pela sigla EDM (electronic dance music), o som dos DJs contemporâneos tem à frente ídolos como Deadmou5 e o sueco Sebastian Ingrosso, que também admitiu ter tocado trechos pré-mixados em seus sets. Para alongar a lista de suspeitos, pense em todo DJ superstar que você conhece: de Tiësto a David Guetta.

    <p class="western">‘Qualquer um pode mixar’

    <p class="western">Deadmou5 argumenta que não pode se arriscar nas megafestas em que se apresenta, onde “qualquer deslize teria consequências drásticas”. Desdenha do talento para mixagem, dizendo que “juntar beats no tempo certo é algo que qualquer um pode fazer”. E, para atiçar ainda mais, escreve: “Meu talento para música brilha onde deve: no estúdio”.

    <p class="western">— Muitos DJs usam programas que fazem sync (recurso em que músicas com o mesmo andamento são agrupadas automaticamente), o que dá mais agilidade ao set. Uso o programa Traktor, mas preservo a mixagem clássica. Nada de playback — enfatiza Leo Janeiro.

    <p class="western">Enquanto a grita cresce, José Camarano, testemunha de polêmicas desde que defensores do vinil execravam DJs que tocavam CDs, decreta:

    <p class="western">— O verdadeiro DJ sempre terá público.

     

  • As 10 profissões mais estressantes.

    23

    Jul
    23/07/2012 às 10h13

     

     

    Soldado.

    Trabalhar pode nos trazer muito prazer e satisfação, ainda mais quando se trabalha por paixão e com o que gosta. Mesmo assim, não é fácil escapar da rotina muitas vezes corrida e estressante.

    É claro que algumas profissões são bem mais estressantes que outras. Mas quais seriam as mais estressantes? O site americano CareerCast resolveu fazer um estudo para descobrir onde estão os profissionais que mais sentem o peso do trabalho.

    A escala de pontuação levou em conta fatores como risco de morte, competitividade, prazos e viagens, entre outros critérios. Algumas profissões não surpreendem por estarem na lista, como a de soldado e a de bombeiro, afinal, eles lidam diariamente com situações de risco. Outras surpreendem, como fotojornalista e motorista de táxi.

    1. Soldado alistado (84.61)
    2. Bombeiro (60.26)
    3. Piloto de avião (59.59)
    4. General militar (55.17)
    5. Policial (53.63)
    6. Coordenador de eventos (49.85)
    7. Executivos de relações públicas (47.56)
    8. Executivo sênior (47.41)
    9. Fotojornalista (47.09)
    10. Motorista de táxi (46.20)
  • Professores têm piores salários entre profissionais de nível superior no Brasil, diz IBGE

    21

    Mai
    21/05/2012 às 11h49

    Salário

    Apesar de o salário dos professores da educação básica no Brasil ter registrado, na década passada, ganhos acima da média dos profissionais com nível superior, o magistério continua a ser a carreira de pior remuneração no país. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a renda média de um docente do ensino fundamental equivalia, em 2000, a 49% do que ganhavam os demais trabalhadores também com nível superior. Dez anos depois, a relação aumentou para 59%. Entre professores do ensino médio, a variação foi de 60% para 72%. O censo revela que os cursos de graduação que levam ao magistério, como pedagogia, apresentam as piores promessas de remuneração. Em seguida, aparecem cursos da área de religião e licenciaturas em áreas disciplinares do ensino médio, como Língua Portuguesa, Matemática e Biologia. “O problema é que os bons alunos não querem ser professores no Brasil. Para atrair os melhores, é preciso ter salários mais atrativos”, defende Priscila Cruz, diretora-executiva do Todos Pela Educação. O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin de Leão, afirma que a carreira de professor atrai estudantes que não possuem desempenho suficiente para ingressar em outros cursos. “Sem salário, não há a menor possibilidade de qualidade. Agora, claro que é preciso mais do que isso: carreira, formação e gestão”, ponderou. Informações do jornal O Globo.

    Fonte:http://www.bahianoticias.com.br/principal/noticia/116364-professores-tem-piores-salarios-entre-profissionais-de-nivel-superior-no-brasil-diz-ibge.html


  • Avicii - Silhouettes

    13

    Mai
    13/05/2012 às 15h20

    Avicii cai outro par de "assume suas funções corporais" faixas. "Silhuetas" e "Máquina de Piano", as misturas originais, são alguns daqueles que você não se importa de deixar a música te devorar na pista de dança, lentamente assumindo todos os seus movimentos, apenas deixando-se ir com ele. E suaves, batidas de Avicii sexy vai devorá-lo. Conte com isso.
  • Top 100 DJs Brazil 2012 - DJ SOUND

    08

    Mai
    08/05/2012 às 09h00

    http://djsound.virgula.uol.com.br/images/stories/top100djsbrazil_2012.jpg

    ss

    1.       Mario Fischetti
    2.       Tiko´s Groove
    3.        Rodrigo Vieira
    4.        Memê
    5.        Felguk
    6.      Gui Boratto
    7.      Carlo Dall´Anese
    8.      Rafael Yapudjian
    9.      Ferris
    10.    Andre Luiz [RJ]
    11.    Tom Hopkins
    12.    Andy
    13.    Rodrigo Ferrari
    14.    Mau Mau
    15.    Marcelo Sá
    16.    Jorge Kiiver
    17.    Rogerio Gonçalves
    18.    Marky
    19.    Renato Ratier
    20.    Vee Brondi
    21.    Filipe Guerra
    22.    Paulo Pringles
    23.    Leo Janeiro
    24.    Raphinha Bartel [PR]
    25.    Anderson Noise
    26.    Roger Lyra
    27.    Dri.K
    28.    Viktor Mora e Naccarati
    29.    Mary Olivetti
    30.    Stuff´N´Fingers
    31.    Antonio Eudi
    32.    Pablo Salles [RJ]
    33.    Adriano Pagani
    34.    Andrew Gracie
    35.    Ronaldinho
    36.    Raidi Rebello
    37.    Saddam
    38.    Tom Keller
    39.    Milk
    40.    Tháscya
    41.    Kyra
    42.    The Twelves
    43.    HardMix
    44.    Rodrigo Hasson
    45.    André Marques
    46.    Flow & Zeo
    47.    Diego Mello [SBC]
    48.    Jesus Luz
    49.    Wilian Saraceni
    50.    Leudson [RO]
    51.    Alan Pinheiro [RJ]
    52.    Michel Palazzo
    53.    Raul Boesel
    54.    Marcos Carnaval
    55.    Feio
    56.    Puff
    57.    Sandro Macedo
    58.    Mayara Leme
    59.    Ingrid
    60.    Magal
    61.    Dexterz
    62.    Rica Amaral
    63.    Gabe
    64.    Marcelo CIC
    65.    Joe K
    66.    Diego Logic
    67.    Vitor Lima
    68.    Mauricio Lopes [RJ]
    69.    Maysa Moura
    70.    Luciano Matheus [AM]
    71.    Cuti [RJ]
    72.    Edgard Fontes
    73.    Robson Mouse
    74.    Silvinho
    75.    Anthony Garcia
    76.    Female Angels
    77.    Vivi Seixas
    78.    Ricardo Menga
    79.    Gé Rodrigues
    80.    Marcio Careca
    81.    Marcelo Garcia
    82.    Thiago Mansur
    83.    Murphy
    84.    Lisa Bueno
    85.    Flavia Xexeo
    86.    Halley Seidel [RJ]
    87.    Allan Natal [RO]
    88.    Rodrigo Ardilha [RJ]
    89.    Hum
    90.    Luca di Napoli [RJ]
    91.    Nato Medrado
    92.    Rodrigo Raposa
    93.    Tovitz
    94.    Akeen
    95.    Vadão
    96.    Ricardo Handek
    97.    Nuta
    98.    Renato Lopes
    99.    Zegon
    100.   Marcelo Lyrio

  • Bahia Cruel

    05

    Mai
    05/05/2012 às 11h17

    Bahia.

    A Bahia está entregue na mão de pessoas inrresponsaveis e inconpetentes, existe uma realidade cruel no estado que além de viver constantemente com a violêcia, ainda convive com o caos social que afeta muitos baianos.É cada vez mais dificil para muitos baianos viver sem estrutaras básicas para ter uma vida digna.

    O baiano apenas precisa de uma educação de qualidade, saúde, segurança e a palavra mais pura e verdadeira dos nossos governantes, o povo precisa da verdade, o povo é que vota, o povo que manda e tira também.

    Existe a liberdade de expressão, existe o voto, é a hora de fazer a diferença não importa quem seja, apenas tenha consciência que o seu voto muda sim, que ele é a sua opinião e vontade e vai ser ele que faz a diferença.

    Muda a realidade é um sonho verdadeiro.

  • (Mas um daando uma de DJ) 'Ele é o DJ do prédio', diz mãe de Ronald em aniversário.

    21

    Abr
    21/04/2012 às 08h44

    Ronald

    Na noite desta sexta-feira (20) Ronald está comemorando seus 12 anos. Ele recebeu amigos em um buffet na Zona Leste de São Paulo. Segundo informações do site Ego, o garoto chegou acompanhado da mãe, Milene Domingues.

    Durante a festa, o filho mais velho de Ronaldo Fenômeno mostrou suas habilidades como DJ.  Milene revelou que é o filho que comanda a trilha sonora da casa.

    <p class="bodytext">"Ouço as músicas que ele toca desde a hora que acordo, mesmo que eu não queira. Ele não é só o DJ da casa, é o DJ do prédio. Os vizinhos contam que escutam a música dele até da academia, porque moramos no segundo andar", contou.

  • DEXTERZ unem música eletrônica, clássica e percussão.

    19

    Abr
    19/04/2012 às 12h24
    <p class="western">Sucesso de público por todo Brasil e exterior, trio comemora agenda concorrida, lançamento de single e projeto de primeiro CD

    Música eletrônica, clássica e percussão. O projeto DEXTERZ é o elo entre os três pontos que, à primeira vista, parecem distantes.

    <p class="western">DJ Julio Torres, Amon Lima (violino) e Junior Lima (bateria)  apresentam seu set interativo e personalizado de house music com muita criatividade e tecnologia. Em dois anos de projeto, o trio, que já reuniu milhares de espectadores nos clubes mais conceituados do país, tem agenda comprometida até julho deste ano, com apresentações nas principais capitais do Brasil e no exterior.

    Com projeto de lançamento do primeiro CD para o segundo semestre deste ano, os músicos acabam de lançar o primeiro single. Intitulado ‘I Like It’, representa bem a mistura harmoniosa e arrojada do projeto, ideal para as apresentações live. “Para a cena eletrônica, é importante que originalidade e ousadia estejam sempre presentes”, aponta Julio Torres, produtor e DJ há 18 anos e residente do D-Edge, em SP.

  • Hora do Planeta

    31

    Mar
    31/03/2012 às 11h55

    Hora do Planeta

Ver postagens anteriores

Home |  Blog Grátis |  Hospedagem HTML Grátis |  Quem somos |  Parceria |  Anuncie |  Ajuda
Trabalhe no XPG |  Política de Privacidade |  Política de Segurança |  Denúncia © 2004-2014 XPG | Siga esta corrente